Quando e Como comecei fazer Artesanato

Eu era criança. Década de 80. Observava minha avó costurando, tricotando... minha bisavó crochetando... e queria fazer igual. Lembro que tentava imitar, sem ajuda, os pontos de tricô com a lã entre os dedos da mão.... já que possivelmente não me dariam uma agulha para aprender e 'treinar'. Como disse: eu era criança. Mesmo! E já mostrava sinais de autodidata. Com as sobras das lãs, dos tecidos, dos botões... e com muita coisa retirada do lixo dos 'recicláveis'... eu inventava, criava.
Sempre fui apaixonada por material de papelaria. Perdi a conta de quantas vezes, quando novinha, gastei toda minha 'mesada' em chocolate, canetinhas e papeis coloridos. 
Fiz diversos cursos. Muitos. Em diferentes áreas. Na época não existia internet aqui no Brasil. E mesmo quando 'passou a existir' era difícil ter acesso às ideias, às inovações, às informações... (um mundo que parece tão tão distante... e nem faz tanto tempo assim!)
Da pintura básica em madeira à caligrafia artística e fotografia profissional muitos anos depois.
Aos 20 e tantos anos me 'matriculei' num curso para aprender fazer bonecas de pano. Não tinha máquina de costura nem $ para investir em material, muito menos em material importado. Fiz o curso prático com a mão direita machucada, recém-suturada (tirei os pontos no dia anterior, ainda abertos, só pra não perder a aula). Sou destra. Não foi fácil... mas minha vontade era infinitamente maior que a dificuldade. E então tive a certeza que, futuramente, eu seria capaz de fazer l
indas bonecas em tecido e feltro. Eu só precisaria não desistir de aprender!
Amo as artes e posso afirmar que elas se complementam. Para saber usá-las basta conhecê-las.
Não sou artesã. Sou crafter: deixei a formação profissional para me dedicar exclusivamente ao artesanato. Pelo menos até ser mãe pela primeira, e depois pela segunda, vez.  
Tirei uns meses (ou seriam anos?!) pra cuidar da vida. Estou voltando ao trabalho aos poucos, sem pressa. Resolvi simplificar as coisas, tornar os contatos mais acessíveis, deixar a frieza de um site bem sucedido e investir meu carinho num Blog. Mais livre! Mais leve! Sem obrigações metódicas. Apenas éticas, seguindo com os princípios nos quais acredito. Respeitando os clientes. Trabalhando com dedicação.
Dessa maneira não tem como dar errado!

E você? Qual sua história com o Artesanato? Eu adoraria conhecer!


5 comentários:

  1. Oi, Dani! Estou adorando o seu blog. Eu sou de Londrina e bem pequenininha minha mãe me matriculou no Colégio Mãe de Deus, de freiras. Aos 7 anos, na 1a série do ensino fundamental , eu já frequentava a Escolinha de Artes, ou inferninho de artes, como a gente chamava por causa da irmã Lucy que era uma peste,haha. Mas essa mesma peste me ensinou a desenhar, aquarelar , pintar ovos, chulear , mexer com barro e a fazer o meu primeiro boneco feito de fuxicos e cara de isopor com chapéu feito de um papel colorido brilhante. Fiz de tudo anos depois...aquarela, óleo, desenho. E fiz faculdade de Contábeis,rs.Minha mãe sempre incentivou minhas artes. Vim pra SP em 2003 e lá conheci a Letícia Castilho Chahime que anos depois, em 2007, me apresentou um ateliê no Tatuapé e uma professora sensacional e muito delicada, a Elaine Llamas, que aprendeu a bonecar no Chile. Tive que parar pois estava desempregada, meus pais em péssima situação financeira e logo depois minha mãe faleceu. em 2011, a Letícia, mais uma vez, me ajudou a recomeçar com as bonecas. Nessa fase eu era funcionária de uma mega construtora em SP com alto salário e cheia de colegas de trabalho homens ao redor. Fiquei com a Le até 2013 quando ela teve bb e voltei a bonecar com a Elaine, ficando lá até julho de 2014. Em 2013, tive uma grande depressão por conta do trabalho e depois de alguns meses de licença, fui demitida no retorno.Assim que fui demitida, eu investi em tecidos e materiais e improvisei um ateliê no meu próprio quarto. Fui procurar um local para dar aulas voluntárias e começaram a aparecer alunas particulares. Estou bonecando até hoje. Não ganho mais tão bem mas sou infinitamente mais feliz e começando a ser reconhecida. Já saí no Super Zíper, dou aulas esporádicas num atelier mega bacana em SP, recebi minha primeira encomenda grande de uma padaria num bairro nobre ( fiz 30 coelhos embalagens) e tô indo devagar. Faço muito curso ainda, acho necessário aprender sempre, ver técnicas diferentes de outras artesãs, tentar aplicar estilos diferentes naquilo que faço. Compro muitos moldes, aí às vezes só uso a estrutura do corpo e mudo o resto, ou faço o contrário. Raramente é igual.
    Passei e ainda passo pelo julgamento de muita gente que acha que eu deveria voltar a trabalhar em empresas. Mas eu quero ser feliz e estou muito. As bonecas me tiraram da depressão e me fizeram ver que a felicidade está nas pequenas coisas. E você está ajudando muita gente com certeza a encarar uma nova vida e um novo jeito de olhar o mundo. Adorei sua história! Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana Paula, onde você dá aulas em SP? Fiquei curiosa.
      Adorei sua história também. Acho incrível como o artesanato é terapia, hobby e fonte de renda... tudo ao mesmo tempo.
      Queria conhecer seu trabalho. Onde posso ver?

      Excluir
  2. Oi, Dani! Desculpe pela demora na resposta! A semana foi de curso de reciclagem com uma bonequeira do sul. Dou aulas no Rainhas da Costura, alto de Pinheiros, na capital mesmo. Ainda não finalizei meu blog, mas tá quase lá. Estou em fase de escolha das fotos para o blog. Por enquanto as pessoas conhecem pelo meu face. Lá é possível ver alguns trabalhos. Vou te add e você poderá ver. bjjj.

    ResponderExcluir
  3. Também comecei mais ou menos como você: desde pequena minha mão nos colocou em cursos de artesanato. Primeiro pintura em tecido, depois pintura a óleo, crochê, tricô.
    Já com quase 20 anos, eu trabalhava em uma empresa que fazia trabalhos de retaguarda de serviços bancários. E todos os dias, no caminho para o serviço, eu passava em frente a uma banca de revista. Me encantei com bordados em ponto de cruz. Fiz isso muito tempo: panos de prato, caminhos de mesa, quadros. Me esforcei e aprendi a fazer o avesso perfeito. Me senti o máximo!
    Aqui na minha cidade, Uberlândia/MG, a prefeitura, através da Oficina Cultural, oferecia cursos gratuitos e nesses, aprendi a fazer bonecas de tecido. Só que era tudo costurado à mão! Imagina quanto tempo não demorava, né? No começo eu também não tinha máquinas e costurei muito à mão. E confesso que gostava! Um belo dia minha mãe me deu uma máquina mais velha, uma Elgin, que me passou muita raiva, até que uma dia, juntei um dindim e comprei uma máquina novinha em folha... Foi minha realização! Depois disso não parei mais. Além das bonecas gosto de fazer peças pequenas em patchwork, como edredons de bebê, bolsas de maternidade (mais simples) e necessaires.
    Não tenho filhos (só os peludos) e meu tempo eu divido entre casa, marido e "meninos". O artesanato me deixa muito feliz e fico orgulhosa quando termino uma nova peça e a cliente fica surpresa com o resultado. Já dei aulas por um tempo, mas confesso que gosto mesmo é de produzir.
    Adorei seu blog, aqui muitas fotos fofas e uma leitura super bacana!
    Um beijo
    Hellen Zapparoli

    ResponderExcluir
  4. Olá Dani, Ana e menininha prendada.Lendo as histórias de vocês me vi em cada uma de vocês. Sou filha de costureira, cresci em meio a linhas e retalhos e talvez não gostasse da costura por que minha mãe fazia eu fazer os acabamentos a mão para ajuda-la... eram chuleados...bainhas de espinhos de peixe...pregar botoes. Eu odiava porque éramos muitos irmãos e eu queria era brincar com os outros. Meu pai era pedreiro mas desses que fazia tudo e eu gostava de ve-lo fazer trabalhos com madeira. Sempre fui caprichosa, acho que por isso minha mãe me escolheu...rs... com uns dez anos aprendi a pintar tecido... amava... gostava de inventar jeitos diferentes de pintar panos de prato, sempre fui boa de criar. Anos mais tarde passei em concurso para Banco e fiquei por 13 anos foi o que máximo que suporte.q quando ainda no BB lembro que desenvolvi com acetato de raio X uns stêncios de flores e folhas enormes, quando eu pintava os barrados parecia uma estampa de chitas, bem coloridos...nossa lembrar disso agora...me dá até vontade de fazer aquilo de novo...depois que sai do banco comecei a fazer ponto cruz em peças de enxoval de bebês. Aí apareceu uma chance de eu arrendar uma marcenaria...nossa aquilo foi tudo....a equipe era muito boa, chegamos a fazer toda.marvenaria Lara as joalherias Lauzi... shopping Ribeirão e shopping Anália Franco aí em Sampa... mas a concorrência é desleal é fechamos dois anos depois. Com a experiência da marcenariaqueda costura,. montei um quadro de quarto de bebê...tipo cenário ...eu saí nas lojas oferecendo a idéia , isso foi em 2000, na primeira loja ela me ofereceu uma decoração de um quarto em uma outra loja de bebê que ela estava abrindo, fiquei com a Sonorama Baby por 7 anos be mesmo quando me mudei por 2anos para Palmas-To, o serviço bera contratado através das revistas de decoração...eu tinha que ter todas...ainda hoje tenho um monte...rs. Montei ateliê e trouxe uma iga expert no assunto para uma sociedade...aí foi ai minha desgraça..por muitos motivos a gente não eu certo... fechei a loja... ela abriu uma para ela, mas anos depois quebrou, mas gente... não posso falar o nome...mas ela é muito boa. Mas é muito mentirosa e enrola serviço para Caraca. Mas ainda trabalharia com ela se ela mudasse, porque foi a pessoa mais criativa que conheci....Bom...para terminar ainda estou na área um pouco ainda perdida por diversificar demais. Agora estou com novos projetos e como diz minha personal style decor...minha filha...tenho que focar num nicho menor de produtos e aperfeiçoa, como nas bonecas de pano que é o que gosto de fazer. Meninas, tenho uma capacidade grande de fazer coisas somente por foto. Olho a foto e faço molde, principalmente bonecas. Eu nunca fiz um molde de roupa. Faço o corpo olho...corto os vestidos e faço. É o que faço Melhor. Sei que posso melhorar se.eu tiver paciência e.fazer moldes para tudo e assim não perder tempo. Dani, nunca comentei em um blogas você tem uma empatia particular e foi inspirador estar aqui lembrando dessa minha trajetória...quase aventureira...rs....
    Adorei essa sua idéia...o seu blog é lindo...seu trabalho é super criativo... e muito bom. Adorei.
    Beijos.

    ResponderExcluir

Obrigada pelo recadinho. Fico muito feliz com cada comentário que chega!
Caso queira infomações sobre produtos, apostilas e encomendas, envie um e-mail para dafressato@gmail.com
Com carinho, Dani Fressato